Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Abril, 2018

Eu gosto de pessoas.

Eu gosto de pessoas. E gosto muito. Sei que há quem prefira os animais e esses indivíduos maioritariamente são pessoas. Mas nem toda a gente é pessoa. Para mim, pessoas são aqueles que gostam de viver, de trabalhar, de ajudar, de sorrir, de se divertirem, que com esforço em alguns (ou mesmo em todos) os dias, dão o seu melhor e sem esperar nada em troca, vão em frente em busca de um dia melhor, um futuro melhor. Conheço pessoas de prosa e em poesia.  A minha mãe é prosa, o meu pai e o meu marido são poesia.
As pessoas de prosa, arregaçam as mangas, trabalham, esforçam-se e têm o pé sempre no acelerador. Conseguem grande parte dos seu feitos, mas nunca, nunca estão satisfeitos! Sabem que ninguém é puro, que há maldade no mundo, que há gente má que também sabe ser boa gente. Acreditam que o bem vence quase sempre (mas não sempre!) que quando as coisas estão mal, demoram, mas mudarão para melhor. Vêm o copo meio cheio, mas sabem que o mais certo é que se não o encherem, cedo ou tarde, v…

O amor sossega a dor.

O amor sossega a dor.
Sossega.
Mas não esquece.
A dor apenas esmorece.
E volta,
volta sempre.

O amor acalma,
O amor atenua.
Acarinha e protege
O amor mostra que se consegue.
Com muito amor, pouco se teme.

Mas haverão sempre os infelizes,
Aqueles que sabem amar,
Dar e cuidar.
Sem pouco ou nada pedir,
Apaixonados, deixam-se ir...

Com tudo,
vivem sem nada.
No espelho o reflexo é de alguém sozinho.
O corpo muda de casa,
mas a alma tem a mesma morada.

E nestes casos,
quem infeliz foi, é e será.
E aqui, a conclusão que agonia,
é o peso da monotonia e
o amor só cega a dor.