Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2012

Gwyneth Paltrow

Não sei se estará na moda, se sempre esteve, mas atualmente os blogs estão repletos de comentários sobre moda, outfits, street style e muitas mais expressões que não me ocorrem no momento. Vagueio por alguns desses blogs quando quero e preciso esvaziar a cabeça. No entanto, escrevo para invocar que também eu tenho para mim uma rainha do estilo. Essa senhora é a Gwyneth Paltrow. Não vou relatar o que prefiro mais ou menos nela, "gostos não se discutem", quero apenas apelar a algo que considero extremamente importante. O pai da Gwyneth, Bruce Paltrow, faleceu em 2002 vítima de cancro oral, cancro considerado raro, 3% de incidência, com taxa de mortalidade elevadíssima, (superior a 80%). A Bruce Paltrow Oral Cancer Fundé uma parceria da família em questão que pretendeu divulgar a patologia para eles desconhecida até ao caso familiar (comovente o discurso nos Oscares com o pai na plateia) com a Oral Cancer Foundation. Pretendo apenas alertar para os perigos eminentes a que o in…

Dezembro

Com perfil frio e semblante cinzento
Possuis calor no coração
Prato cheio e copo vazio
Brilho nos olhos
de quem recebe um presente.

És feito de passados sonhados
E futuros vividos
Riqueza maior de um abraço cheio de luz
Amor de Verão
lembrado num gelado à lareira.

E deslizas na água das estradas
Na berma outrora definida
Azevinho sem azevia
Doce de gila em bolo rei
que enche a barriga a quem de palmo e meio.

E corres em volta da mesa
Num corropio de enfeites, fitas e laços
Com amor, carinho e felicidade,
Haverá algo melhor que uma mesa
repleta de amor em forma de comida?

Como eu adoro o Natal!

LoVe, for better and worst.

And you came as you are
Simply with your arms open
And my mind was close
But God had told me
Our love was written in the stars

Your smile came to me
Like the rain drops kiss the light
My stone, my love
Hold me into your chest
Like I've never been gone

For better and worst
I will love you
For better and worst
I will wait for you
For better and worst
I will standing right here for you

But where my home's?
Is right beside you
Not inside your arms
Not beneath your heart
But in the middle of your soul

For better and worst
I will love you
For better and worst
I will wait for you
For better and worst
I will standing right here for you

Like in all the novels and romances
That we've seen
I finally use my heart instead my head...

A minha primeira letra em inglês, dedicada ao André Ventura.

A professora

Conhecer alguém como a senhora  não é uma honra, é um privilégio. Poder privar consigo, na vez de a ver passar é uma bênção. Sorrir para si não é o mesmo que sorrir consigo. Pensar em voz alta ao seu lado é muito melhor do que em casa reflectir sobre o que disse. Vê-la trabalhar é muito melhor que em casa ler artigos sobre como fazer. Ter a sua opinião é muito melhor que uma plateia atenta. Ouvi-la cantarolar é melhor que ouvi-la a falar baixinho.Vê-la suspirar é desejar não ter errado. Mas se não tivesse errado, não teria aprendido, hoje não seria melhor. Lamento as conversas de café que ainda não tivemos, as migalhas dos biscoitos ainda por encetar e os cheiros ainda por sentir, mágoa que as memórias insistem em esquecer...

Princesas

O género feminino é todo ele adorador de princesas. E eu não fujo à regra! Da Disney sou fã da Ariel, na vida real (belo pleonasmo) sou fã desta senhora, Máxima Zorreguieta.

O pedido.

E voas com o teu manto cheio de estrelas pintadas de branco. Sentes os sonhos, no bater do teu estetoscópio. Vives embalado nos sorrisos E acordas no brilho suave de um beijo indeciso. 
Olhas para trás e vês um futuro pintado a preto e branco Ao reparares nas horas no relógio da parede Descobres um presente em tons de aguarela Ele surge na tua frente de camisa e lapela Como é belo o que o seu sorriso mede Como faz juz à sua sombra no ritmo do seu avanço.
A luz dos teus olhos Ainda hoje me lembra o suspiro que dei Quando te vi pela primeira vez. O teu azul é doce, dá-me alento, dá-me esperança. E adoro o amor que me tens em abastança.  Sim, direi-te sempre mil vezes sim!

Amor inocente.

O amor de pais pelos filhos chega a ser mais que assustador, aterroriza qualquer um. Deixam de ter para dar, deixam de comer para enchermos a barriga, deixam de sonhar para dormirmos uma boa noite de sono, andam nús na rua para termos mais de 3 mudas de roupa, deixam de ter pensamentos para  erguermos a nossa alma, deixam de ter pés quentes, para termos o coração a ferver, deixam de ter momentos a dois, para termos momentos a três, deixam de mudar de carro, para termos um, deixam de passear, para passearmos, deixam de ser os actores principais das suas vidas para sermos nós os actores principais das suas vidas, aceitando de bom grado o papel secundário da sua própria vida. E dizem de boca cheia e com o sorriso mais aberto e feliz do mundo "És a razão do meu viver!"E haverá amor mais generoso que este? Os verdadeiros pais dão demais, dão tudo o que têm e o que não têm para nos verem felizes. E a minha definição de pais recai nos meus. Hoje mudei de casa, para uma só minha qu…

Dente de leão.

Um nome tão forte para algo tão frágil que voa nos braços do vento. Hoje realizei um grande sonho meu, amanhã iniciarei um sonho muito maior.

Sou feliz.

Alvor

Pressionas o botão Mas não é silêncio que ouves É o bater do coração Ausente no despiste  Das palavras.
E levas uma machadada Pior do que uma chapada Foi nas costas Quando te queriam acertar Em cheio no coração.
E roças o vazio De quem jás no meio do perigo Pelos Deuses de Atenas Embrenhados em precipícios  De medos maiores restritos.
E balanças no fio da navalha Da aliança outrora rasgada Deteoras o insucesso dos teus sonhos Persegues o ladrão das almas E esqueces que o som que ouves
é das vozes que as sombras te dão. 

"You're not pretty enough..."

Adoro juízos de valor sem sentido algum!

Parabéns... a mim!

20.000 e continuo a crescer!

So far, far away...

Questiono-me sobre o que estará ele a fazer, há poucas horas saí da cama junto dele e já me parece uma eternidade. Porque será que não me consigo concentrar no trabalho? Porque não me consigo desligar da imagem do corpo dele junto ao meu? Como é possível alguém ser tão doce ao acordar? E ele é tão doce ao acordar e como são suaves as suas súplicas quando me diz "Não vás, fica aqui comigo..." e como me dói cada vez que respondo: "Não posso meu querido..." E saio de casa quando lá fora ainda é de noite e só me apetece chorar! Eu fico doente, porque não vai ele para o trabalho a horas?! Faço 100km embalada nas minhas músicas, presa nas sensações que elas me provocam e tento congelá-las e colá-las a mim. Como eu gosto de músicas tristes! A minha vida é repleta de cor, às vezes até me parece um arco-íris e a rapidez com que passa do amarelo ao roxo? Um espanto! Mas sim, o meu dia-a-dia é cheio de risos, de luz, cor, mas sou fã de fotos a preto e branco e músicas triste…

Sonhos.

Há sonhos que sabemos que os concretizamos porque parecem-nos estar a uma distância de um acto mais ousado e há outros que parecem tão longínquos e tão altos que achamo-nos pequenos demais para que mesmo perante cerca após 50 saltos mortais de costas estamos bem longe de os concretizar e que nos passam ao lado e vão acertar em cheio noutras pessoas que com mais sorte ou menos não somos nós. Na quinta-feira à noite realizou-se um do segundo grupo!

Maria Inês

Lembro-me de estar deitada à beira mar, num dia de pachorrento de verão, ouvir risinhos lá ao fundo embalados no rebentamento das ondas orientadas pela luz da lua nova, quando de repente uma sombrinha num dia de sol majestoso a encher um céu azul sem ponta de nuvens fez-me abrir os olhos e eu vi-te pela primeira vez. Eras muito pequenina, caminhavas com passinhos curtos, mas decididos, tinhas a pele muito branca e uns olhinhos azuis brilhantes como se o céu começasse nos teus olhos, umas pestanas enormes e um sorriso brando, calorento e o teu olhar enchia-me o coração de ternura que me fazia lembrar alguém. Sorrias para mim enquanto eu te piscava os olhos e dizias-me baixinho "Ola dorminhoca..." e eu estremunhada nada disse. Olhei-te e segui-te quando te começaste a afastar e a fazer-me sinal para te seguir, não esperei duas vezes, segui-te. O teu cabelinho era castanho clarinho, tinhas uma franjinha que te sobressaía o cor-de-rosa das bochechas, um laço verdinho bailava so…

Helsínquia.

Uma das coisas boas da vida, é viajar! Sem dúvida alguma, a meu ver claro. E não significa sinónimo de lazer para todos, porventura será na maioria. Mas existem inúmeros afortunados, que o fazem quase diariamente (ou até mesmo!), com tudo pago (aqui chego ao cume da minha felicidade, porque acho maravilhoso receber ordenado com viagens incluídas) se bem que o meu namorado começa a pertencer a esse grupo e já não acha tanta piada quando tem de rumar no dia seguinte para a Alemanha ou para a Madeira, destinos que já começam a ser parte da sua rotina e as horas de sono que perde rumo a um local em que a viagem implica atravessar nuvens a 11000m de altitude. E eu aqui entendo-o perfeitamente, porque prezo muito as minhas horas de sono e não sou propriamente fã de diretas. Ora bem, na semana passada estive na cidade de Helsínquia onde decorreu o Congresso PER/IADR. A particularidade deste congresso é a exposição da investigação a que cada um que se dedica na área da Medicina Dentária faz …

Steven Soderbergh

Sinceramente, o que une o "Magic Mike" aos restantes filmes, a meu ver, é só o nome do realizador.  Corpos bonitos e alguns passos de dança no filme e nada mais. Ponto.

Amarelo.

Senta-te aqui comigo e fala-me dos teus sonhos perdidos
Que ainda não conseguiste esquecer
Relembrando os 16 anos outrora na pele
Que desejas ainda satisfazer.

E deixas-te levar pelo peso das saudades
Pela amargura das lágrimas salgadas
Que teimam em cair de quem tem dificuldade
em se levantar.

E desejas bem no fundo e sussurras muito baixinho
Os teus desejos mais profundos,
que tens vergonha de confessar a quem te olha no espelho
e deixas a banda sonora da tua vida arrebatar nos teus momentos mais tristes
com a certeza de que tudo fizeste para ter um final feliz,
ou como os americanos teimam em dizer "happy ending."

E o sufixo dá-te o alento de que nada acabou,
que o nó na garganta além de cego dá para se desenrolar
e que vieste ao mundo para amar
e ser amado.

Que a magia acontece onde menos esperas
Com quem menos contas,
Que no fim levas as contas soldadas
E no momento em que pensas começar em desvantagem
Foi exatamente nesse momento em que começaste a vencer.

Sim, porque …

Fifty shades of Grey.

Hoje terminei este livro e tal como milhares de mulheres, também eu o li e sim li-o curiosa por provocar tamanho frenesim. E acho maravilhoso o suspense criado em redor dos actores que serão as personagens do livro. Pois bem, também eu vou dar o meu palpite! Apresento-vos o meu Christian Grey e a minha Anastasia Steele. Fiquei fã não da trilogia em sim, mas da franqueza com que as coisas são chamadas pelos nomes e que os tabus são nós sem pontas soltas que temos nas nossas mentes...

Bom dia!

Life.

Como a simplicidade é rara...

Patricia Urquiola.

Designer e arquitecta espanhola que vive em Milão, mais pormenores confesso que não acho necessários. As peças que desenha falam por si. Esplêndidas e funcionam como sinónimos de "luxo". Um dia afundo-me nelas, um dia...

Nunca te devia ter conhecido, mas conheci.

Disseste-me que nunca me ias deixar
Que o teu amor por mim era soberbo
Mas hoje abraço o ar
Na esperança de te conseguir tocar.

Viajas nos cheiros das minhas memórias
Sinto-te no café mais amargo que bebo
E quando éramos novos e bebíamos chicória
Foste tu quem quis gravar numa tarde quente
Desses lanches infindáveis
o nosso nome na árvore mais alta
Como quem promete amor eterno
Tatuado numa imagem cardíaca de um braço desnudo.

Finjo que na sombra és a minha luz
Mas és o preto do meu branco
És a nódoa do meu tecido luzidio
Sem dúvida alguma, o meu grande pranto.
Despeço-me com a certeza de que nunca te devia ter conhecido
Dor fantasma e estúpida de um amor verdadeiro que tive por ti.

E sim, infelizmente, os meus melhores sonhos
continuam a ser aqueles em que apareces.

Deus ainda não ouve as minhas preces.


Afonso, o bastardo.

A Alice não sabia que ele era assim, que tocava violão como ela assobiava as canções do Arnaldo Antunes e quando deu por ela, já estava mais que apaixonada por ele. Carlos sabia que ela não estava só naquela paixão, mas porque raio (pensava ele) com 35 anos e era o maior malandrão daquele bairro onde há um ano morava com a mãe, os outros 34 foram habitados com a mãe noutro bairro, desde que viuvou, Maria do Céu quis sair das 4 paredes que sempre a fizeram feliz, faltava-lhe o mais importante, o seu amor, Afonso. Afonso era um filho bastardo (que nome tão feio para um homem com tão bom coração!) que por morte do irmão real que não era bastardo, mas de besta tinha tudo, fez com que a história se escrevesse pelas linhas outrora bem desenhadas. E arrastado com a doença do pai e com os bens mais que muitos, e que nunca anunciaram escassear, assim Carlos se tornou famoso, por tocar no bar da esquina da casa "O Soslaio" belo com o corpo moreno, cabelo louro, olhos verdes, voz rouca…

Não é apenas uma cadeira, são duas!

Não é somente uma cadeira, é a cadeira. Não é só um artigo decorativo, é o repouso. Não é só uma cadeira do famosíssimo Herman Miller Eames, é arte!  

Man Ray

A Maria Vasconcelos diz que isto não é arte, mas eu digo que é.

Acredita em ti.

"Quem me encontrar vai querer sorrir
Quem me descobrir vai querer ficar
Vou fazer feliz o mundo vão
Então, meu bem, vou ser alguém!"

Chorar...

Há vários tipos de choros: o da ansiedade, o da tristeza, o da solidão, o do medo, o do nervosismo, o da dor e o da felicidade. Quero cingir-me a este último. O meu namorado diz que sou uma "crepideira" que choro por tudo e por nada, além de eu detestar o nome (e aqui não concordo com ele!) mas sou obrigada a concordar com ele no resto, porque sou mesmo choradeira!!! Eu choro quando estou muito nervosa, quando vejo filmes românticos e eles ficam juntos no fim, mas choro muito mais quando eles ficam separados e choro aos soluços se um deles morre no fim ou a meio! Mas não me fico por aqui, choro quando as músicas dizem na minha vez o que mais quero dizer, quando alguma diz tudo aquilo que sinto e dou graças por ser "normal" porque mais alguém sente o mesmo que eu e choro quando vejo os jogos olímpicos, jogos de ténis, campeonatos de atletismo, ginástica, natação, em resumo em TUDO! Vejo com grande admiração e enorme felicidade quando um atleta depois de 35088horas (…

Alcateia 56

Terminou hoje o ano escutista da minha Alcateia, confesso que foi um ano cheio, com muitas ausências por causa do CIP, ARCNEC e afins, mas valeu muito a pena!  Agora é olhar em frente orgulhosa do que deixo para trás!

Voltar...

Num exercício mental obriguei-me a decidir onde voltaria já amanhã se um Aladino me concedesse 3 desejos.
O resultado deixo-vos aqui:

Paris - França
Barcelona - Espanha
Praia do Amado - Portugal

When we were young by Sucré

"When we were young I never had to worry I never even cared 'Cause something always came my way When we were young I never had to carry Those fears I have today You take me when I close my eyes"

AmizadePuraNãoTemosDeTodos.

SOBERBO Já o vi há algum tempinho, mas não me esqueço!

Sonhar...

“Daqui a vinte anos vais estar mais desapontado pelas coisas que não fizeste do que pelas que fizeste. Por isso livra-te de todas as amarras. Afasta-te do teu porto-de-abrigo. Apanha o vento nas velas.” Mark Twain


Ela termina de ler e pensa no que tem. Como a vida é amarga e só nos mostra o que temos quando deixamos de ter. Vai em frente, arrisca, erra, faz mal feito, mas faz! Exita no que dizes, mas não no que fazes. Ama, vai mais longe. ARRISCA! Segue em frente, saboreia o sol, aceita as nuvens, dança numa chuva de verão com aroma a terra molhada. Diz a quem amas o que sentes, vais ficar assombrada com as felizes respostas. ARRISCA! Diz que tens saudades de quem te prometeu vir e ainda não apareceu. Diz a quem já gostaste que estiveste apaixonada por ele. Diz-lhe, vais ver que ele também esteve por ti. E hoje não é tarde... Nunca é tarde! ARRISCA! Aceita as derrotas e agradece à natureza tudo o que tens. Tu és os teus erros, és o teu mau humor ao acordar, és as tuas desculpas que fic…

Avó Maria Floripes.

Quando o tic-tac do dia-a-dia se faz notar, algo se passa! Será o motor de arranque? Será a angústia dos sonhos? E o tempo vai engolindo as sombras e os restos que luz inebriante faz sentir. Como dói sentir a saudade de quem já partiu. Confundem-me sempre contigo. Ainda ontem à noite assim foi e toda a noite eu segredei-te a estória ao ouvido. Que angústia não te ter conhecido com o tempo a meu favor, mas tudo me roubam e tu não foste excepção. Tenho saudades do pão com manteiga que nunca me chegaste a fazer e das noites que dormi contigo, sem me lembrar do teu cheiro. Eras quentinha avó? Avó, como é ter o meu pai ao teu colo? Ele era o teu preferido? Ele sente tanto a tua falta, que ele nem nenhum dos teus filhos me consegue falar de ti... Avó, como te apaixonaste pelo avô Manuel se mal me lembro da voz dele? Como foi criar 6 filhos sem perder o sorriso? Como te sentiste quando me viste pela primeira vez? Nem conheceste a Carla e a Beatriz! E bonitas que ela são... Avó, como é estar …

Silêncio.

Relaxa e tenta sonhar
Com o que nos pesadelos convinha
com a bela paisagem
da noite vestida de preto
sobre a letra da canção
que não cheguei a escrever.

E aos meus pesadelos convinha
que eu perdesse a bagagem
de memórias encerradas no epiteto
de um feliz coração
e que outrora já conseguira antever.

Mas o barulho fez-se rei
de uma vilaça majestosa
onde o silêncio era astuto
roubou tudo a seu jeito
porque o destino lhe tirou a donzela.

Sei de cor e não me falha a memória
do rosto da princesa de outrora
que o barulho sempre quis
mas o silêncio conquistou
de forma majestosa.

Sumiu, foi fugaz
mas soube viver de amor,
morreu de mágoa, morreu esquecido
por quem dorme sem sonhos
e por quem faz por ser ouvido.

My world, my way.

Adoro escrever no silêncio da noite, na inebriante doçura de quem amou. Vem comigo, estende-me o calor do teu abraço, preciso de desabafar... Apercebi-me recentemente que ser adulto não é ficar mais velho, não é olhar para trás com nostalgia é olhar em frente e sentir com todos os poros da pele que quem vai na frente tem razão quando nos avisa que "vai correr mal!" e que lucidamente me dizem "acho que devias fazer diferente" e muito, muito mais. Porque eu não dava valor e fazia ouvidos moucos, até que chega o momento do click e aborreces-te por seres sistematicamente inexperiente e por repetires erros. Ser adulto é errar de forma original. Eu vou em frente com a clara noção dos avisos que me fizeram, mas sei que vou errar, mas mesmo assim, vou à mesma e em frente, para a direita, para a esquerda e com a certeza de que estou a dar o meu melhor. Mas a perfeição é a ilusão de que somos felizes sempre e para sempre, o que nunca acontece, por isso penso "o que me p…

Estória de amor.

Existem dois tipos de histórias que me fascinam: as do oculto e as de amor. As primeiras, porque me prendem ao orador e só me lavanto quando o fim me é revelado, as últimas, porque nunca me consigo ausentar antes do final. A história da Viviane e do João é uma história de amor... Contava-me ela há uns dias em choro compulsivo, nos seus 65 anos com o Parkinson como fiel companheiro de todas as horas que o João, certamente não voltava à minha consulta e eu limitei-me a ouvir. O João foi-me apresentado pela Viviane como sendo o seu amigo de infância, mas algo no olhar me dizia que ele era muito mais que isso... A Viviane conheceu o João no preciso momento em que se conheceu a si mesma, tinha 4 anos e ele tinha na mão o pão com manteiga que momentos antes segurava ela, como ele sempre foi tão guloso. Foram crescendo lado, a lado, escola básica, secundária, foram ambos para Macau estudar com as respectivas famílias e sempre com a certeza de que seriam "namorados" toda a vida. Vol…

ARV

Semelhante ao sol que nos aquece, assim vem o teu sorriso ao meu encontro.. Como é bom ver-te chegar! O azul dos teus olhos inspira confiança e o toque das tuas mãos desfaz as minhas inseguranças. Lembro-me bem de ver-te pela primeira vez e de nada em ti me saltar à vista. Lembro-me bem de falarmos pela primeira vez com os teus olhos a refletirem num computador de uma sala escurecida, lembro-me bem do primeiro filme que vimos juntos pela primeira vez e de como te dei a minha mão. As estórias de amor são únicas, cada uma do seu jeito, mas ao relatar o início das mesmas, todas começam com sorrisos e momentos parvos, mas que naquele instante eram tudo. E hoje ao olhar para trás sinto isso. Começou com sorrisos, tivemos os nossos momentos parvos, mas agora és me quase tudo e outro tanto. Não és a dependência que possa sentir, és sim a metade que me preenche e que faz com que os meus dias sejam mais completos e felizes. És quem me faz contar as horas até tu chegares, és quem me aborrece q…

Ilubriadamente doce.

Aprendi da pior maneira que as pessoas não são más, conseguem sê-lo e muito bem, mas não o conseguem sempre, conseguem ser boas e de forma ainda melhor. E nesses rasgos de bondade, raros talvez, conseguem, não sei eu como, cativar de uma forma surpreendentemente vincada que faz o outro sentir saudade. Como um dia ensolarado de um sol de inverno a meio de Novembro, sabendo nós que é escasso, breve e solitário. Mas como dizia, as pessoas não são más. Conseguem sê-lo, mas como em tudo, também isso passa! E é muito bom saber que nas ruas de um coração perdido, existe sempre alguém que inebriadamente na esquina mais próxima aguarda pela sua aparição. Será mel? Será feitiço? Não sei, mas soulmates soa-me sempre melhor que alma gémeas, esse título de novela das seis. E ainda bem que assim é! Há dinâmicas de relações que ninguém as entende a não ser quem as vive. Há momentos inexplicavelmente desafiantes e eternidades pachorrentas, mas as horas de espera vão desigualando o tempo, as horas par…

And the Oscar goes to...

Mila com Elie Saab de cortar a respiração, mas o baton vermelho é sempre qualquer coisa!

A minha preferida! Usava tudinho sem tirar nem por!

Louise Roe a minha segunda preferida! Que maravilhosa neste Black Halo...

Zoey Deschanel ou Patrícia Diogo?

A todas aquelas que insistentemente me lembram que sou parecida com esta menina, eu pergunto: mas eu também tenho os olhos lindos?

A perda ou all goot things come to an end.

Como será perder alguém?
Perder para sempre quem tanta vez nos fez sorrir, quem tanta vez nos levou ao colo, quem também nos repreendeu e quem da mesma forma nos afagou o cabelo inúmeras vezes? Felizmente, advindo da minha juvenil idade e pelo condor do destino a quem muitos acham desígnios do acaso, outros lei soberba da natureza, as pessoas que mais amo estão todas elas comigo. As festas acontecem com toda a gente à mesa, os acontecimento felizes são recontados nos diversos telefonemas e a minha plateia está sempre com lotação esgotada começando logo na fila da frente. Que sorte, que bom sentir o abraço cheio de tantos braços e o bater do coração! Mas um dia como em tudo na vida, também a minha mesa cheia vai acabar. Até lá há que dar valor a essa mesa cheia. Por ventura, tento renovar a cada dia que passa os meus sentimentos pelas mesmas. Porque são tantas as vezes que ouço as pessoas a queixarem-se que só depois de perderem é que deram o devido valor às pessoas, que ficou o silênci…

Conectividade.

O sol brilha e o frio aperta, amanhã ele vai chegar.. Como o tempo passa, que velocidade atroz! Será de mim ou nem dei pelo tempo passar? Como é delicioso escrever numa manhã ensolarada, no local do costume e com o teclado que nunca me rejeita.. Que saudades do cheiro de livrarias com revistas e livros que atabalhoadamente se acotovelam para eu os escolher: "Leva-me a mim!" "Ele não, todos lhe tocam, leva-me a mim, estou aqui em cima..." e com receio de ferir os seus nobres sentimentos, trago e folheto descartável, porque ele fica feliz com um simples toque: ele ama como as mulheres, desenfreadamente mas por pouco tempo. E eu limito-me a ser o seu homem, que o acolhe como se nunca se atrasasse e que o aceita sem recordar maleitas de outrora. E o tempo passa, os livros agora gritam a outros, na esperança de não serem esquecidos. Actualmente escrevemos tudo no papel do ecrã, as folhas antigas acumulam pó e por esquecimento, ficam para trás, arrumadas nem sei bem onde…

Só de mim.

ARREBATADOR! Hoje não é o dia dos namorados, é o dia do amor...

Solidão.

Solidão, porque me acompanhas?
Porque me sorris quando desabafo?
Porque razão eu te preencho tanto?
Porque choras quando não te sinto?

Será porque só eu te aguardo com um sorriso?
Porque sinto-me sozinha, mas nunca estou só?
Ou porque abraço-te e aceito-te como és?
Porque bem sei, que todos passamos por ti (e mais que uma vez!)

Gosto do tempo que passo contigo,
Fazes-me companhia nos piores momentos
E nos melhores, vejo-te ao longe a sorrir por mim
É maravilhoso o sentimento de realização pessoal.
Não é?

Sei que todos ouvem o que insistes em lembrar, mas diz-me...
Alguém pergunta por ti?
Ouves esta pergunta?
Como é ser solidão?

Responde-me ela baixinho: é dar a mão e senti-la vazia.
E eu nada consegui dizer...

Alcateia 56

Vale apena acordar a um sábado às 9h e ir com a Alcateia em peso vender compotas e aos Bombeiros!

The Help.

Soberbo!

Sonha comigo.

Voei contigo naquele fim de manhã, quando finalmente após longos momentos os nossos corpos se uniram num só. Deixei-me enamorar e contigo fugi. Não sei se voltámos ao que éramos, agora que olho para trás consigo ver que somos mais e melhor, os teus dedos aveludados afagam-me as memórias soltas nas minhas mechas de cabelo solto e liso, dou comigo a suspirar: "Como eu sofro com o bater do coração!" nunca gostei de te ouvir, tenho medo que pares, mas por favor não contes este meu segredo. Fala sobre ele baixinho, sibilando uma música de embalar, como as ondas do mar quando faladas nos romances infantis. E deixo-me voar. Como o tempo passa! Sou de voos altos, a pique, bem baixos, como os gráficos das bolsas europeias, as americanas mentem muito e as nossas mentem igual. Mas eu não te quero mentir, já não sinto aquela paixão desenfreada, sinto amor apaziguador mas devoto! Amor que ama para ser feliz, amor que chora com as ausências e que fica feliz quando o relógio apressa-se por…

Pai no papel ou pai à força?

Recentemente duas amigas minhas disseram-me que iam ser mães. Se uma me disse com alegria, lágrimas de felicidades e a esbanjar amor por todos os poros do corpo, a segunda já o disse a chorar, pois não quis interromper a gravidez e já ia no oitavo mês em que vivia com o menino na barriga e o peso da decisão nas costas. O namorado não queria a gravidez, estavam juntos há 6 meses e nem conheciam os pais do outro, ela não a queria interromper e agora estava a ser mãe e pai, mas ambos com as hormonas aos saltos e só estava de ténis... Eu penso imenso neste tipo de coisas, porque dá mesmo que pensar... E se eu engravidasse?! Sinceramente nesta fase não é de todo planeado, mas sim, eu sou mulher e tenho o corpo a meu favor na decisão, ele vai para onde eu quiser e tendo um namoro consolidado (pensamos nós que o temos até um certo dia...), mas a minha vida não é estável para um acontecimento tão importante, mas sim, também sei que se assim fosse, ninguém teria filhos, por isso as pessoas tom…

Pela luz dos olhos teus.

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar

Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar

Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus
Só para me provocar

Meu amor, juro por Deus
Me sinto a incendiar

Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus
Já não pode esperar

Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus.

Vinicius de Moraes

Keep calm.

Brandon Flowers, tu cantas e encantas-me!

Baba-te aí sozinho sff.

Adoro a letra!

Realização.

ADORO!

Segunda-feira.

O meu nome.

Assino por baixo.

Seiko.

A conceituada marca de relógios Seiko deve conhecer as classes de Black, digo isto porquê? Porque lançou este fabuloso Seiko Cavity, para uma Médica Dentista que se preze este acessório revela-se indispensável...