Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2008

Green dress.

Não sei, confesso que não sei por onde começar...
Se por uma actriz que me vais fascinando pelas personagens que modela, desde o meu Pride.


A Lizzie Bennet é mais parecida comigo que eu com ela, agora a Cecilia Tallis...

Se pelo vestido.

Se pela frase repetidamente doce e agustiante "Came back, came back to me..."

E pronto, foi-se-me o piu...

Divóricos ou descasa???

Fico sempre alarmada com a quantidade de casamentos que se transformam em divórcio e então a rapidez com que isso acontece é demais. Já não me aarece estar crescendo assustadoramente, está mesmo... Já ninguém luta como antigamente, já ninguém se esforça como outrora, tudo se estranha, já nada entranha, a não ser as nódoas... Mas nisto tudo a questão que mais me toca é como fica a cabeça dos filhos quando os pais se separam?

Então esta imagem é assustadora...

Um novo começo ou recomeço?

E vem devagarinho, surge do nada, mas à muito predestinado a acontecer... A temível época de exames, sozinha nestas quatro paredes e com o meu amor já de férias quando fez os seus exames, que ao todo, são menos de metade dos que tenho para fazer... Época em que não vivo, sobrevivo, época em que dou comigo a desejar passar, quando deveria pensar na boa nota, ou não... Mas no meio de tudo isto, ainda nem comecei e já estou farta, cansada e esgotada... Palavras como blocos de recuperação dão me vontade de me atirar ao tecto, de saltar da ponte e de me ir embora. Voltar para onde vim, sim porque assim que isto terminar, vem outra dose ainda pior... Se quem fizesse os programas académicos os vivesse, aposto ao meio do primeiro dia o mudavam... E o cúmulo dos cúmulos é que ainda pago para aqui andar... É cada uma pior que o maláman...

Saudades daqueles tempos em que me deitava na relva do meu jardim com os livros de 12º ano ao lado e nem lhes pegava, imaginava-me na moina dos tempos de facul…

Amor real.

Quem quer o amor real, deve começar do começo, acreditar, esforçar e ter muita muita muita paciência e estar pronto para todos os desafios que ele trouxer.
Não são poucos e não são fáceis, mas a recompensa...

é indescritível.

Grão.

E falou-me assim ao telemóvel: "Mimi e depois veio a fada dos dentes e deu-me um euro e chocolates debaixo da almofada..."E eu"A sério? Que bom... E queres contar mais alguma coisa à Mimi?"E ela disse-me assim: "Ó Mimi, o que é um grão de bico???"

Brilho de outrora.

Assim como uma folha cai em pleno Outono de outrora,
tu desvanesces e renasces novamente em mim.
E cresce o teu novo EU.

Pésinhos.

E começa assim ao de leve e ao de mansinho como um amor lindo e doce de viver..Vem devagar devagarinho, mas quando damos por nós surge ainda um amor maior...Amor de companheiro é preciso conhecer para se gostar, amor a um filho, muito antes de se conhecer já se AMA.

Arco da Íris.

A Íris é uma bébé linda que gosta de fazer coisinhas de plasticina (e agora também de fimo) que com os seus únicos 5 anos faz espantar os meus 20, tal é a dedicação e o amor que emprega no que faz... E fez-me este arco-íris, fê-lo assim como quem paparica um amor e como quem deseja que a flôr brote e vai regando e cuidando... Pois bem, a Íris sem querer moldou o meu amor por ti meu bem...Parece invisivel, que às vezes nem lá está, mas está e assim como se revela em tantas cores eu me revelo em tantos mimos, carinhos que sei que achas que são sempre poucos para o que desejas ter comigo... Mas nós temo-nos um ao outro. Sabes que não é só nos dias de chuva que te dou miminhos :), sabes que não é nas nossas pazes de birrinhas sem importância que o sentes, não é? Por isso, trata bem da tua flôr que eu prometo não estragar o arco da Íris...

E eu e as anatomias...

E no meio de tanto estudo de Anatomia I, chega a uma parte entre as artérias gástricas esquerdas, direitas e as pancrático-duodenais que ela diz-lhe assim no ecrã do meu portátil: "Não te vou pedir desculpa por ter decidido colar desta meneira triste aquilo que tu sem mais nem menos partiste." E eu penso, haverá algo mais importante que estarmos com quem amamos? Nisto confesso que fui abençoada... Faço uma pausa, mando -lhe mensagem e contínuo o estudo...

Esta sim é para ti...

O que ela diz não te interessa.
Pelo menos vê se és fiel à forma como me tratas, a todos os nomes que me chamaste e chamas e me deixas, de uma vez por todas e FINALMENTE viver em sossego.
Porque me incomodas, porque me entristeces e porque me magoas e não consigo deixar de gostar de ti... Porque não acredito que sejas assim, não acredito que isto nos aconteceu e não quero mais pensar nisto ou sentir que tenha de te nomear para isto ou aquilo...
Faz como se não existisse, é mais fácil, apagas-me e longe dos olhos, longe do coração...
Percebes ou queres desenho? É que se assim for preciso de abrir o paint e não me está nada a apetecer...

This year's love.

Turning circles when time again
It cuts like a knife oh yeah
If you love me got to know for sure
Cos it takes something more this time
Than sweet sweet lies
Before I open up my arms and fall
Losing all control
Every dream inside my soul
And when you kiss me
On that midnight street
Sweep me off my feet
Singing ain't this life so sweet

Avenida do nada...

Quero fazer tanta coisa e ao mesmo tempo não quero fazer nada...Acho que estou como quando queremos fazer dieta e só temos vontade de comer...Pois bem, já sabendo que a inércia hoje me vai vencer, vou caminhar calmamente pela avenida do nada e depois, finalmente, vou dormir...

Não stresses...

Não stresses… Há noções de Microbiologia Médica que, tendo nós percepção ou não, vamos aprendendo ao longo da vida, vamos amontoando no topo da mesma montanha do Senso comum…Um pequeno exemplo? As pessoas más.O universo das pessoas más subdivide-se em dois grandes grupos, tal como os Fagos: os que seguem o ciclo lisogénico e os que seguem o ciclo lítico… [Pequeno parêntesis para te assegurar que ambos os grupos estão englobados na grande espécie dos c#brões :P] As pessoas más que seguem o ciclo lisogénico podem permanecer toda a sua vida neste mesmo ciclo, dentro do hospedeiro, corroendo, sem grandes estragos, mas sempre corroendo, até um certo dia, por um estímulo, se lembrarem de fazer grandes asneiras. Já as pessoas más que seguem o ciclo lítico usam a maquinaria das pessoas boas até deixarem de precisar e depois tratam de lisar o hospedeiro… (Vá, digamos que são menos subtis…)O que nos vale no meio disto tudo? É que apesar de todas estas pessoas más (e reparo agora que nem cheguei…

É Gram mas eu não gramo muito.

Enquanto se tenta estudar Microbiologia Médica, mas não se consegue, vai-se navegando na net como quem divaga nos sonhos e deixamo-nos levar por pensamentos rarefeitos como ar abafado que teima em não me abandonar... Pois bem, se há coloração gram e ora deixa pensar... As Gram + são fortes, são grossas e ficam-se logo pelo violeta de genciana... Já as Gram - não vivem a vida, deixam-se andar e sofrem, levam com tudo em cima (o que querem e o que não querem) e ficam-se com uma fucsina diluída que lhes faz bem às trombas... Pois bem, mas porque me mandam estudar isto, se preciso de um microscópio para as ver se podia antes estar a relaxar a curta vída a ouvir Gram a tocar??? Sim, porque há uma banda brasileira chamada de Gram! Isto eu sei...
Trocadilho? Será??
Não, não é... Antes fosse... Mas eu cá que tenho a sinceridade como amiga declaro morte às Gram, e como quem isto inventou já morreu até nem me fica mal desejar-lhe mal?
Trocadilho? Será??
Talvez...
Mas uma coisa não me posso esquecer,…

ILU II.

Esta tinha de ficar a parte:
"Sabe o que é melhor que ser bandalho ou galinha? Amar. O amor é a verdadeira sacanagem".
Tom Jobim

ILU I.

"Durante toda a vida, eu não podia sequer conceber em meu íntimo outro amor, e cheguei a tal ponto que, agora, chego a pensar por vezes que o amor consiste justamente no direito que o objeto amado voluntariamente nos concede de exercer tirania sobre ele."
Fiodór Dostoiévski


Olhar de jovem.

Às vezes da-me uma vontade daquelas enormes de gritar e é quando fico mais muda. Sinto que tudo o que existe em meu redor só eu o vejo, que só para mim existe e a cada passo que dou, o que para trásficou dissipa-se como uma fumaça. Fumaça branca, branco da paz que todos querem, mas muito poucos lutam por ela... Confesso que às vezes gostava de ser só um bocadinho piquinina e ver tudo com o olhar de bebé, com aquela fome de devorar tudo, porque a minha chupeta não me chega. Assim também não me calava enquanto as coisas não estivessem como eu queria... Começo a achar que só isso resulta...

Sonho de algodão feito.

Que o ano de 2008 seja doce, doce, doce, doce, doce, doce, doce, doce, doce, doce, doce, doce,
dddddooooooccccccccíííóssssssssssssssssssssiiiiiiiiiimmmmmmmmmmmmooo!

Às vezes os cheiros e sabores são bem melhores que as palavras,
ou assim não será?

ah ahah ahahaahahah ah ah
ahahahahahaahhahahah ah ah aha ah aha ah ah ahahahahahaha ahaaaaahahah
Já me dói a barriga de tanto rir...
Mas porque dói se estou feliz?
Porque me arde o peito se não está em ferida?


Hoje tenho novamente 5 anos, a ponta dos ténis estão esmurrados na frente, o meu cabelo para mal dos pecados da minha avó está todo emaranhado, mas ainda me resta na minha mão as migalhas do pão com manteiga que a Minnie não mais lembeu, mas rejubilo da imensidade do meu riso. Os meus pais estão a chegar, ouço-os bem daqui e a Minnie teima em querer ganhar a corrida, mas nunca me dou por vencida e como sempre corro para os abraçar, não me trazem presentes caros, isso não é bom, tem de se brincar com jeito, trazem-me uma nuvem. E esta nuvem é e…