Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

Carta ao ano 2015!

Meu querido 2015, 
(ler como quem canta a música "Meu querido mês de Agosto!" de Dino Meira).
escrevo-te, não porque 2014 tenha sido mau, mas, porque foi um ano morninho e eu cá, não sou de meias medidas, sou muito mais do tipo ou é, ou não é. O meu namorado que o diga. Enfim. Assim de repente, olho para trás e não me surge assim nada digno de um grande e espectacular "UAUUUU!" Parece-me que foi um ano de "meios", de "inícios" mas sem grandiosos fins. Pura e simplesmente, não existiram. Fiz dois cursos de escrita criativa, escrevi um livro que ainda não viu a luz do dia (propositadamente); tenho o doutoramento, literalmente, a meio e; finalmente, encontrei alguma serenidade no trabalho que a experiência já começa a apaziguar, sem nunca ser demais. Escrevi uma revisão que ainda não viu a luz do sol (intencionalmente), preparo a parte experimental do projecto... Ou seja, só para ti - ano 2015 - utilizei o ano de 2014 em boa parte a preparar imensa…

E tu, o que recebeste neste Natal?

Muita coisa e bem boa, mas "o" presente foi este: Canon EOS 700D.

Ainda o Natal 2014.

Há poucos dias escrevi aqui no estaminé que neste Natal, a única certeza seria o ganho de peso - que ainda não apareceu - (mas não estou nada triste pela sua ausência) e que me dedicaria à corrida. Pois bem, em 10 dias, duas provas concluídas e estas perninhas já somam 44km, embora a aplicação Nike Run revele um orgulhoso total de 132km! Isto escrito tem outro impacto! Ohhhhh yeaaaahhhh!!!
E sim, o desafio está lançado! TAM TAM TAM TAM... A Meia Maratona de Lisboa a 22 de Março de 2015! Será que consigo?! Começou ontem o treino e a app só diz, assim de mansinho, que até lá tenho de correr 650km! Ok ok ok... O desânimo já me grita aos ouvidos, mas eu sou forte e tenho, pelo menos, duas pessoas a torcer por mim. O Francisco e o António. Já o fazem há anos - correr as MM - mas, em 2015 querem estar na meta a ver-me chegar! Fica aqui o desejo de daqui a uns anos, correr lado a lado convosco.

Para já deixem treinar/correr a menina.
Fiz a minha estreia na 37ª São Silvestre de Coimbra no pas…

Natal 2014 a correr

O desafio estava feito.
Quando se começa a correr, a certo ponto, o prazer suplanta as vantagens que as calças e a própria balança revelam!
Assim sendo, a corrida era simples, alegadamente 8km em prol da Associação Integrar, podem ver aqui, 2€ simbólicos de inscrição e o que quiséssemos dar seria bem vindo. Num sábado com uma má disposição terrível, sem saber ao certo se sairia do trabalho a tempo e horas, honestamente, dei o que tinha na carteira, já que consegui chegar às 17h40 e a partida estava marcada na porta férrea às 18h com as badaladas da cabra. E lá fomos nós!

O nosso emblema;
A foto de grupo;
A selfie da chegada em aplausos num corredor de quentes abraços;

A recordação de um gesto bonito, de quem preferiu sair de casa e tentar deixar o mundo um bocadinho melhor. O mundo e o rabiosque, porque correr põe a Beyonce mais rijinha! Sim, trato o meu rabo gigante por Beyonce, é a única coisa que temos em comum! AHAHA AHAHAAH  Parabéns às forças motrizes da organização, eu não fiz …

Natal 2014

Ora bem! Neste Natal eu... não espero mesmo nada de especial! O que realmente quero é fútil e ainda não vou comprar, espero mais algum tempo até querer realmente ao ponto de não me importar com as bocas que vou ouvir, até porque honestamente ainda não comprei nada para mim como a tal bicicleta de 900 euros em segunda mão. Enfim.
Não é este o rumo que quero dar a conversa, quero sim afirmar, afincadamente, que neste natal a única coisa que sei que vou receber é peso!!!


Mas - há sempre um mas - a única coisa que tenho planeada para este Natal é correr mais, porque honestamente faz-me bem a todos os níveis.
No fim de semana fiz a Rota do Esporão, em Tondela, 6km muito bonitos e fáceis.


Ontem, saí de casa sem ideia alguma, sem destino e foi sempre a rolar. Fiz isto - 11.5km.

Não me custou nada mentalmente, hoje estou sem dores e sinto-me muito bem.
Pai Natal, podes vir, já me sinto preparada para ti.

Mas quem é o pai da criança?

"Sabe Lucineide, o marido da Camila é um gato! Tem um sorriso que é uma delícia, o aclareamento nos seus dentes tem funcionado bem demais, mas caraca, o pai dela está mesmo muito acabado!!!"

[Conversa imaginária entre o meu tico e o teco traduzida em br 2.0 depois de ter assistido ao filme Dallas Buyers Club]

Já só falta...

encaixar mais 6km neste tempo.

Fácil!

Por um bem maior.

Dizia eu que era por isto mesmo. Por um bem maior. Mentira ela achava, a arrogante era eu que só teimava em mostrar o caminho - Venha por aqui! Tem 3 filhos, o mais velho é o João, tem 10 anos e teima em não lavar os dentes, da mesma forma em que a mãe insiste em desculpar-se que tem 3 filhos e não pode chegar a todo o lado em horas próprias, desculpando-se, insistentemente, que tem de olhar pelas mais novas, a Luísa e a Carolina de 3 e 5 anos. A verdade é que aos meus olhos são duas crianças indisciplinadas, um rapaz incompreendido estilo "brother-sitter" que precisa de tempo para ser ouvido e ser tido em consideração excepto nas típicas frases "Olha as tuas irmãs João!" E aos meus olhos, a mais infantil é a mãe, que acredito também, que nas suas dificuldades, dá e tenta todos os dias o seu melhor! Li algures, recentemente, que os problemas de muitos filhos de hoje-em-dia é que os acudimos rapidamente, mal estão a esgar o primeiro AHHH do grito, já lá estamos nós…

Sia Furler

Fã, fã, mas fã a valer!
Aqui ficam 5 motivos que me arrebatam por completo!

PS: Aos mais distraídos, ela já canta bem, mas a meu ver, escreve ainda melhor. Tudo que aqui enumero é da sua autoria, de se lhe tirar o chapéu!

Hoje tenho de fazer mais 12km!!!

Ontem comi 3 filas de Milka com avelãs sem qualquer remorso, hoje o filho da mãe apareceu-me à porta!!!

John Legend

Muito, muito obrigada pela noite de ontem!

Jessica Athayde

A minha humilde vénia a quem coloca na sua voz, milhares de ecos sem rosto! Já agora, critiquem menos, apreciem-se mais. 
Ando a correr e a fazer muito mais coisas que gosto e que me dão prazer. Façam-no também, sejam as actrizes principais da vossa vida e não uma mera figurante. 
Para já não há mais a dizer, mas muito há a refletir!!!

Algo tão simples e nobre como... Desfilar pela vida.

Ontem aconteceu-me algo maravilho, simples, emotivo, mas muito maravilho. Durante a semana estive além de ocupada com a correria de casa-trabalho (a correria de sempre!) a pensar no ACACHEFE do 1241 e da minha ausência do mesmo, a minha mãe numa das suas perguntas recorrentes se vou a casa no fim-de-semana, informou-me que caso fosse iria com eles a um jantar cujo preço do mesmo, em parte revertia em prol da Liga Portuguesa da Luta contra o Cancro. "Ok!" pensei eu... No entanto, também me informa que a minha afilhada lá ia estar... Só uma pequena menina, já muito grande mulher que já não via lamentavelmente h´largos meses... "Ok, vou mesmo tentar ir..." Aliado a isto, seria sábado à noite, mesmo dia estava em congresso na minha cidade. Escrevo isto porquê, porque não ia minimamente preparada para o que aconteceu a seguir, nem tão pouco este evento me despertou mais atenção. Chegámos, fomos iniciando a noite com as entradas, maravilhosas a par da fome com que estav…

A varanda.

Ela falou muito baixinho, a querer negar o que tinha sucedido. A negar a ausência que o ardor no peito não a permite esquecer. Ela não quer esquecer. Não se esquece um filho. Vive-se da saudade que mata por dentro um coração que insiste em bater, sem vida para saborear. Disse-me que nunca gostou que ele se balançasse junto à varanda enquanto o vento lhe desalinhava os caracóis, sempre lhe berrou para não fazer... Bem só o fez até Dezembro do ano passado quando ele entre berros e num olhar triste lhe disse "Deixa-me fingir que voo, por favor! Deixa!!!" e eu fui deixando. Que parva eu sou!!! Nunca gostei que o fizesse, nunca, nunca! Ficava sempre a ver e de coração apertado parecia-me que apanhava balanço e quando chegava com o corpo balanceado junto à varanda tudo parava até o corpo balançar para trás, novamente. Ele é autista, vive no mundo dele, sonha com o sol a beijar a lua, quer que a gata da vizinha namore com o nosso periquito porque segundo ele ambos têm as cores mai…

Inspiration for the next 3.73 miles.

A putanice sacana dos machos alfa!

Há merdas que me enfastiam! Não é pouco nem muito, é bastante! Ao ponto de me enojar e, acreditem, pois sendo eu dentista não me enojo com pouco! Uma delas, e que hoje trago como tema ao estaminé, são os auto denominados "solteirosporvontadeprópria" quando na verdade "andaméacomermaisdoqueumaaomesmotempoouumadecadavezatémecansar!". E digo isto porquê? Há uns dias li isto aqui e honestamente estou em total desacordo. Atenção, não conheço o autor, mas conheço alguns exemplares do seu "grupo" e é sobre estes que me refiro. Conheci o primeiro na secundária. Vou chamar-lhe o macho alfa. Consigo ver à distância de anos que é um total zezinho ignorante e infeliz! Envolvido em promessas feitas a uma ex-namorada que o deixou (e bem!!!), deixou também ele de viver situações que o alegravam em prol de uma grande promessa a um amor maior (que falsidades!!!). Que grande SACANA, quando anos depois descobri (por vontade da própria que ajudou no encornamento!) que a enc…

A minha afilhada Catarina...

... caminha a largos passos para ser modelo, enquanto eu lamento sentir-me "cota"!
É lindíssima! Por dentro. Por fora. Dizem que sai a mim em muita coisa! Filha única, ciumentaaaaa e tudo o resto (quase tudo!) está num livro à espera dela!

ATS AV!!!

Há surpresas que não têm preço!

E se o carro não pega?

Passo os dias de um lado para o outro
Cem para cá, cem para lá.
E em cada rodar de chave rouco
Um solitário pensamento me afronta:
"E se o carro não pega?"

E fico-me por aqui.
Como se no mundo inteiro,
ninguém quisesse saber de mim. Concluí.
Perdida em caminhos, desafogada em sonhos
De quem os rouba ao forasteiro.
Outrora, risonho.

São meros instantes de um maior fulgor
De quem tudo dá!
Sem sentir dor.
Na essência de um sorriso largo, abdutor
De quem outrora se apaixonou por um grande estupor.

E pergunto-me agora:

"E se o carro não pega?"




Carlos do Carmo e o presidente deselegante.

O meu grande bem-haja. O nosso primeiro Grammy.  Há umas semanas atrás foi notícia de abertura dos nossos jornais televisivos, o presidente da república, Cavaco Silva, ter tirado uma selfie com jogadores da nossa selecção, momentos antes de esta embarcar rumo ao Brasil para o Mundial de Futebol. Esse mesmo Cavaco, revelando, há dias, alguns sinais de modernidade, não teve a honra de exercer naturalmente as suas funções. Funções essas em que foi eleito pela população. População que hoje envergonha e entristece. A obrigação profissional e moral de parabenizar o fadista, como o protocolo o exige!  Se o fadista o criticou, foi devido à grande riqueza que possuímos no nosso país: o direito à liberdade de expressão. O mesmo presidente, deve estar mais que consciente e habituado que ninguém agrada a Gregos e Troianos. Como tal, mesmo tendo sido alvo de duras críticas, devia ter a humildade de parabenizar um português. Enquanto individuo tem a sua total liberdade de escolha, enquanto preside…

Às Judites,

Às Judites,
Escrevo-vos como mãe que ainda não sou. Vivo de filhos imaginados, que não sei se terei, mas já tanta angústia me dão. Serão saudáveis? Serão felizes? Dizem que filhos criados, são trabalhos dobrados.A mim, parece-me que ando a sofrer pela metade, numa vida respirada por inteiro. Às mães que perderam filhos aqui fica a minha confissão. Chamar-vos-ei Judites. O dicionário não vos etiquetou com nenhum substantivo, por não imaginar tamanha dor e eu, chamar-vos-ei assim por respeito e pouca imaginação num momento destes. Se perder os meus pais ficarei órfã. Se os meus pais me perderem, perder-se-ão comigo. Ao morrer levá-los-ei por completo, apenas um corpo ficará para trás que, mesmo respirando, vive agora ausente de tudo e todos, mas cheio de memórias que moem, doem e apertam o nó que se formou sem pedir licença mesmo no centro do peito e no fundo da garganta. Imagino-os como uma fina folha de papel A4 que se molhou e não consegue regressar à sua forma inicial. Viver é preenche…

Holidays - where am I?

PD #4

Coldplay - um toque frio.

São a minha banda favorita. Porque ouço todas as músicas, sem me lembrar de ninguém em particular, excepto a mim mesma e os meus. Porque me provocam lágrimas ardentes de amor. Lágrimas de coração tremido por saber que vou perder os meus. Lágrimas de dor quando me perco a mim mesma. E mesmo assim, são a minha banda sonora quando me encontro novamente. Porque a vida, para mim é cheia de cor, com inúmeras músicas a preto e branco. Sei bem o que é amar um pássaro e querer voar atrás dele, tendo as pontas das minhas asas cortadas. A vida seria terrivelmente diferente, se pudesse voar sem ser em sonhos.  Não sou muito audaz, o máximo da minha loucura foi amar ignorantemente uma ideia preconcebida por mim. Nunca mais amei assim.

A avó dele.

Ele altera a ordem das fotografias,
Folheando os pensamentos
De sorriso estampado no rosto
No momento em que me olha nos olhos e diz:
BRUTAL!

Gosto de o ver a sorrir
Embalado nas memórias de menino
Pequenino e tenrinho
No colo da avó
Segunda mãe que o criou.

E é vê-lo
A sorrir, a rever
A vibrar, a reviver
E decidir começar a escrever
Na parte final.

E é vê-lo com vontade
de voltar a viver tudo
Nem que seja
Só mais uma vez,
E diz-me ele:
Seria um sortudo!

Especial.

Chego sempre à mesma conclusão. Só quero ser especial, para quem para mim é megamente especial. Vivemos o dia-a-dia numa proliferação de atividades mundanas, profissionais, intervaladas por situações familiares. E o tempo vai passando. Ainda no ouro dia foi Natal e já vejo este terrível Maio a lembrar-me que fico melhor de bota de cano alto, do que sandália rasa. E porquê isto de sermos especiais?  Vejo e revejo-me a tentar agradar quem mais admiro.  Não no sentido de me moldar ao que o outro tem como ideia da minha pessoa, mas sim, desejando que quem eu respeito e admiro, goste de mim pelo que eu sou, ideia pela qual eu me identifico. Ora... vejo isto na minha relação com todos, mais anda, na relação com o meu namorado. Da mesma forma, que o admiro, que o elogio e o protejo, desejo que o faça comigo. Mesmo no sentido independente da relação. Se eu preciso, vou e faço. Se ele precisa, vai e faz. Mas é sempre bom o abraço ao fim do dia, a pergunta de como correu o dia, tão ou mais imp…

Silence 4

Há sonhos que demoram longos anos a concretizar, este foi um deles. Ou por isto, ou por aquilo, nunca tive a merecida oportunidade de os ver ao vivo, logo eu que adoro assistir aos concertos dos meus heróis.   Lembro-me bem de na adolescência me perguntarem qual o meu grupo preferido. Ao que respondia: Silence 4. Mas a verdade é que Silence becomes it continua a ser um dos raros álbuns que consigo ouvir de início ao fim, parando sempre mais tempo na Angel song. Lembro-me de estupidamente rogar pragas quando anunciaram o fim, desconhecendo parvamente o que sucedia. Lamento profundamente, a ignorância é o que dói mais. Disse ao meu pai que finalmente os ia ver, as palavras dele ecoam ainda nas minha memórias: "Finalmente filha!"
Ontem, numa noite de inverno deste terrível mês de maio realizei um grande sonho meu, cantei as letras todas, porque parecendo que não, estava tudo ali. Outra vez. 
Obrigada.

Simples.

Um hino à vida na voz de um poeta.

Isto nunca se esquece.

Globos de Ouro 2014

Ora bem...
Vestia-os a todos, a opção por ordem de apresentação.
Agora que rimei, vou fazer o que me lembrei.

Cristina Yang

Already missing you.

Fica comigo.

Este é um daqueles pedidos que deve ser minuciosamente detalhado. Não por palavras, mas pelos sentimentos entrelaçados pelos envolvidos. É um dos pedidos mais fortes, mas também dos mais angustiantes. Se a pessoa pede ao outro para ficar com ela porque não consegue estar sozinha é muito, muito complicado, porque devemos ser felizes por nós mesmos, sem precisarmos do outro. Isto é fácil? Claro que não. É muito difícil estarmos sozinhos e não nos sentirmos sós. Felizmente, eu consigo e acredito que é aqui que começa a verdadeira jornada em busca da felicidade. Mas já tive momentos em que mal o conseguia, ou simplesmente não consegui. Não me lembro, fiz por me esquecer. E como eu, muitos mais. Podem mentir-me a mim, na boa, mas não mintam a vós próprios.  Quando o pedido é de puro amor ao outro, pior ainda. Porquê? Vamos imaginar uma relação a dois como dois pratos de uma balança. Se eu estiver a exigir 80% ao outro, então tenho de parar obrigatoriamente e reparar que só estou a dar 20%…

Pensamentos de uma mulher à beira de um ataque de nervos porque apercebeu-se que o Verão está aí...

Ora bem.  É mesmo isto e só isto.  Nervos, histeria e tudo aquilo a que tenho direito porque a minha pele está mais próxima de festejar 30 anos em que ainda não aprendeu a realizar fotossíntese. A minha pele só aprendeu até hoje em deixar crescer os pêlos (que estúpida!), mantê-los encravados que originam a porcalhice de pontos negros, em ter nódoas negras, roxas, castanhas e até amareladas e em ficar bem oleosa. Até aqui, estando eu bem consciente da minha elasticidade mental, não expludo à primeira, que eu bem sei, fui-me aguentando. Ora é esfoliante, ora é creme hidratante, eu faço de tudo!!! Mas ter agora uns sinaisitos de celulite é assustador e pernas que acusam retenção de líquidos é que não! Porque bebo pelo menos 1l de chá verde e uso meias de descanso no trabalho. Vá não me lixem!  Lá fui eu à consulta de diagnóstico, cheia de coragem consegui subir o degrau para a maldita da balança. E comecei bem. Peso mantenho, IMC impecável, agora quando a filha da mãe indica que tenho …

PD #3

Queima das fitas de Coimbra.

Faz 8 anos que tive a minha primeira Queima das Fitas em Coimbra. Já a tinha frequentado enquanto aluna de secundário, mas a primeira mesmo foi de braço dado com a minha mãe sem traje envergado. Entrei em enfermagem, a minha última opção do papel de candidatura, como ia repetir os exames nacionais não quis que me comprassem o traje pois o futuro podia trazer na algibeira outra faculdade e o dinheiro seria muito mal gasto. Pois bem, como sempre lá tive a minha mãe de mão dada no desfile. Estava tão triste por ver tantas cartolas amarelas que passei a tarde do desfile com lágrimas nos olhos, as minhas amigas de curso todas trajadas e eu no meio delas com a minha mãe sempre de mão dada. E esse dia resumiu-se num dos dias mais espectaculares de sempre! A minha mãe passou literalmente todo o dia comigo, incluindo jantar de curso e a rambóia nessa noite ao som de Quim Barreiros em pleno queimódromo! O David chegou a pedir a minha mão em casamento à... minha mãe! Que lha negou na cara! AHAH…