Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2012

And the Oscar goes to...

Mila com Elie Saab de cortar a respiração, mas o baton vermelho é sempre qualquer coisa!

A minha preferida! Usava tudinho sem tirar nem por!

Louise Roe a minha segunda preferida! Que maravilhosa neste Black Halo...

Zoey Deschanel ou Patrícia Diogo?

A todas aquelas que insistentemente me lembram que sou parecida com esta menina, eu pergunto: mas eu também tenho os olhos lindos?

A perda ou all goot things come to an end.

Como será perder alguém?
Perder para sempre quem tanta vez nos fez sorrir, quem tanta vez nos levou ao colo, quem também nos repreendeu e quem da mesma forma nos afagou o cabelo inúmeras vezes? Felizmente, advindo da minha juvenil idade e pelo condor do destino a quem muitos acham desígnios do acaso, outros lei soberba da natureza, as pessoas que mais amo estão todas elas comigo. As festas acontecem com toda a gente à mesa, os acontecimento felizes são recontados nos diversos telefonemas e a minha plateia está sempre com lotação esgotada começando logo na fila da frente. Que sorte, que bom sentir o abraço cheio de tantos braços e o bater do coração! Mas um dia como em tudo na vida, também a minha mesa cheia vai acabar. Até lá há que dar valor a essa mesa cheia. Por ventura, tento renovar a cada dia que passa os meus sentimentos pelas mesmas. Porque são tantas as vezes que ouço as pessoas a queixarem-se que só depois de perderem é que deram o devido valor às pessoas, que ficou o silênci…

Conectividade.

O sol brilha e o frio aperta, amanhã ele vai chegar.. Como o tempo passa, que velocidade atroz! Será de mim ou nem dei pelo tempo passar? Como é delicioso escrever numa manhã ensolarada, no local do costume e com o teclado que nunca me rejeita.. Que saudades do cheiro de livrarias com revistas e livros que atabalhoadamente se acotovelam para eu os escolher: "Leva-me a mim!" "Ele não, todos lhe tocam, leva-me a mim, estou aqui em cima..." e com receio de ferir os seus nobres sentimentos, trago e folheto descartável, porque ele fica feliz com um simples toque: ele ama como as mulheres, desenfreadamente mas por pouco tempo. E eu limito-me a ser o seu homem, que o acolhe como se nunca se atrasasse e que o aceita sem recordar maleitas de outrora. E o tempo passa, os livros agora gritam a outros, na esperança de não serem esquecidos. Actualmente escrevemos tudo no papel do ecrã, as folhas antigas acumulam pó e por esquecimento, ficam para trás, arrumadas nem sei bem onde…

Só de mim.

ARREBATADOR! Hoje não é o dia dos namorados, é o dia do amor...

Solidão.

Solidão, porque me acompanhas?
Porque me sorris quando desabafo?
Porque razão eu te preencho tanto?
Porque choras quando não te sinto?

Será porque só eu te aguardo com um sorriso?
Porque sinto-me sozinha, mas nunca estou só?
Ou porque abraço-te e aceito-te como és?
Porque bem sei, que todos passamos por ti (e mais que uma vez!)

Gosto do tempo que passo contigo,
Fazes-me companhia nos piores momentos
E nos melhores, vejo-te ao longe a sorrir por mim
É maravilhoso o sentimento de realização pessoal.
Não é?

Sei que todos ouvem o que insistes em lembrar, mas diz-me...
Alguém pergunta por ti?
Ouves esta pergunta?
Como é ser solidão?

Responde-me ela baixinho: é dar a mão e senti-la vazia.
E eu nada consegui dizer...

Alcateia 56

Vale apena acordar a um sábado às 9h e ir com a Alcateia em peso vender compotas e aos Bombeiros!

The Help.

Soberbo!

Sonha comigo.

Voei contigo naquele fim de manhã, quando finalmente após longos momentos os nossos corpos se uniram num só. Deixei-me enamorar e contigo fugi. Não sei se voltámos ao que éramos, agora que olho para trás consigo ver que somos mais e melhor, os teus dedos aveludados afagam-me as memórias soltas nas minhas mechas de cabelo solto e liso, dou comigo a suspirar: "Como eu sofro com o bater do coração!" nunca gostei de te ouvir, tenho medo que pares, mas por favor não contes este meu segredo. Fala sobre ele baixinho, sibilando uma música de embalar, como as ondas do mar quando faladas nos romances infantis. E deixo-me voar. Como o tempo passa! Sou de voos altos, a pique, bem baixos, como os gráficos das bolsas europeias, as americanas mentem muito e as nossas mentem igual. Mas eu não te quero mentir, já não sinto aquela paixão desenfreada, sinto amor apaziguador mas devoto! Amor que ama para ser feliz, amor que chora com as ausências e que fica feliz quando o relógio apressa-se por…

Pai no papel ou pai à força?

Recentemente duas amigas minhas disseram-me que iam ser mães. Se uma me disse com alegria, lágrimas de felicidades e a esbanjar amor por todos os poros do corpo, a segunda já o disse a chorar, pois não quis interromper a gravidez e já ia no oitavo mês em que vivia com o menino na barriga e o peso da decisão nas costas. O namorado não queria a gravidez, estavam juntos há 6 meses e nem conheciam os pais do outro, ela não a queria interromper e agora estava a ser mãe e pai, mas ambos com as hormonas aos saltos e só estava de ténis... Eu penso imenso neste tipo de coisas, porque dá mesmo que pensar... E se eu engravidasse?! Sinceramente nesta fase não é de todo planeado, mas sim, eu sou mulher e tenho o corpo a meu favor na decisão, ele vai para onde eu quiser e tendo um namoro consolidado (pensamos nós que o temos até um certo dia...), mas a minha vida não é estável para um acontecimento tão importante, mas sim, também sei que se assim fosse, ninguém teria filhos, por isso as pessoas tom…

Pela luz dos olhos teus.

Quando a luz dos olhos meus
E a luz dos olhos teus
Resolvem se encontrar

Ai que bom que isso é meu Deus
Que frio que me dá o encontro desse olhar

Mas se a luz dos olhos teus
Resiste aos olhos meus
Só para me provocar

Meu amor, juro por Deus
Me sinto a incendiar

Meu amor, juro por Deus
Que a luz dos olhos meus
Já não pode esperar

Quero a luz dos olhos meus
Na luz dos olhos teus.

Vinicius de Moraes

Keep calm.

Brandon Flowers, tu cantas e encantas-me!